Você não adicionou nenhum item ao seu pedido

Total: R$ 0,00

em 04 Jun
  • Categoria: Aprendendo Sobre Café

O Brasil mantém sua posição como grande produtor de café: o país segue na ponta como o maior produtor mundial de café, com mais de 50 milhões de sacas por ano, o dobro do segundo colocado que é o Vietnã. 


O país é rico em variedade de cafés, graças ao cultivo distribuído ao longo de todo o território. As dimensões continentais permitem as mais diversas variações de climas e ambientes naturais, possibilitando diferentes terroirs. A área de cultivo de café no Brasil pode chegar a 2,4 milhões de hectares, sendo 74% deles ocupado pela variedade arábica.


Mas você sabe quais são as principais regiões produtoras de café no país? Se ainda não, siga a leitura. Vamos falar um pouco mais elas e as características dos grãos que cada uma produz. Nestes lugares, por exemplo, são produzidos cafés especiais e microlotes, cheios de sabor e qualidade.

Saiba quais são as principais regiões produtoras de café no Brasil


Mogiana Paulista (Nordeste de São Paulo), Sul de Minas, Cerrado de Minas, Bahia, Paraná, Espírito Santo. Com certeza você já deve ter ouvido falar sobre estes lugares. São as principais, maiores e melhores regiões produtoras de café no país. Os cafés de grande qualidade concentram-se no Sul, Mantiqueira e Cerrado de Minas e Mogiana Paulista – os cafés destas 3 regiões formam um dos mais conhecidos blends nacionais.


É nestas regiões que são plantados, colhidos e processados grãos de extrema qualidade, que chegam as mais altas pontuações da Specialty Coffee Association - SCA (seguindo a Metodologia de Avaliação Sensorial da entidade). Um exemplo são os cafés da Linha Essências do Brasil, da Essenza Cafés: um deles vem da Mantiqueira e outros das Matas de Minas. Vale destacar que somente o estado de Minas Gerais é responsável por 53% da produção nacional. 


Cada região produtora de café fornece características específicas aos grãos, mas de uma forma geral as plantas desses locais são classificadas como Arábica.  O café Arábica possui muitas variedades da planta, cada uma com aroma e sabor diferenciados. As mais comuns são: Bourbon, Catuaí, Acaiá e Mundo Novo. E, dentre essas variedades, existem também várias sub variedades: Bourbon Amarelo e Vermelho, Catuaí Amarelo e Vermelho, variedades de Mundo Novo, etc. Como o arábica é considerado mais nobre pela complexidade de aromas e sabor, dele é que são produzidos os cafés superiores e ‘gourmet’.


Veja que tipo de planta é mais comum em cada região produtora de café:

 

  • Cerrado Mineiro, Mantiqueira e Sul de Minas, Mogiana (São Paulo), Paraná – 100% Arábica.

  • Bahia e Espírito Santo – Robusta e Arábica.


Agora, conheça a características do grão produzido em cada uma delas:


Mogiana – 100% Arábica. A bebida produzida nesta região é bastante encorpada, com aroma frutado e sabor suave e adocicado. Uma das mais tradicionais regiões produtoras de café Arábica, a Mogiana está localizada ao norte do estado de São Paulo, com cafezais a uma altitude que varia entre 900 e 1.000 metros. A temperatura média anual é bastante amena em torno de 20°C. A região produz somente café da espécie Arábica, sendo que as variedades mais cultivadas são o Catuaí e o Mundo Novo.


Mantiqueira e Sul de Minas – 100% Arábica. São cafés que atingem as melhores classificações de bebida (mole ou estritamente mole), encorpados com alta acidez e um sabor doce característico. O Sul de Minas é a maior região produtora de cafés Arábica do Brasil. Tem altitudes entre 850 metros e 1.250 metros, e temperatura média anual entre 22 e 24°C. As variedades mais cultivadas são o Catuaí e o Mundo Novo, mas também há lavouras das variedades Icatu, Obatã e Catuaí Rubi.


Cerrado Mineiro – 100% Arábica. Os cafés do Cerrado de Minas Gerais são caracterizados pela bebida fina, corpo forte e excelentes aroma e doçura. São produzidos em altitudes entre 800 metros e 1.200 metros. A região tem estações bem definidas: verões quentes e chuvosos seguidos por invernos secos e frios. Ou seja, o clima ideal para o cultivo de cafés naturais de alta qualidade. O padrão climático do Cerrado é singular e ajuda a produzir excelente café Arábica processado por via natural (secos ao sol). A florada é concentrada, o amadurecimento é uniforme e é acompanhado por bastante luminosidade, ajudando a fixar aroma e doçura.


Espírito Santo – Robusta e Arábica. As lavouras de Robusta ocupam a grande maioria do parque cafeeiro estadual e respondem por quase 2/3 da produção brasileira da variedade que se expandiu principalmente nas regiões baixas, de temperaturas elevadas. O Estado coloca o Brasil como segundo maior produtor mundial de Robusta.


Paraná – 100% Arábica. Os cafés produzidos no norte do Paraná proporcionam uma bebida extremamente encorpada, com um amargor acentuado, aroma caramelizado e acidez normal. A altitude média é de 650 metros, sendo que na região do Arenito, a altitude é de 350 metros e na região de Apucarana chega a 900 metros.


Bahia - Robusta e Arábica. Os grãos proporcionam uma bebida com sabor suave, levemente achocolatado, pouco corpo e com notável acidez. Há três regiões produtoras consolidadas: a do Planalto, mais tradicional produtora de café Arábica; a Região Oeste, também produtora de café Arábica, sendo uma região de Cerrado com irrigação e a Litorânea, com plantios predominantes do café Robusta (Conilon). Na Região Oeste, existe um número cada vez maior de empresas utilizando café irrigado, contribuindo para a consolidação do Estado como o quinto maior produtor do país.


Para saber mais sobre o mundo do café, continue acompanhando as atualizações do nosso blog e das redes sociais no Instagram e Facebook.

Compartilhe:

Comentários ()

Ninguém comentou ainda, seja o primeiro.

Escreva seu Comentário